5 passos para a liderança transformacional

5 passos para a Liderança Transformacional

Descubra se você é um líder transformacional: Você segue estes passos?

No primeiro artigo publicado: A Liderança Transformacional, o que é, apresentei os princípios da sustentação do trabalho desenvolvido por James McGregor Burns, onde foram apresentadas as bases da prática dessa liderança e os princípios fundamentais que a norteia.  Incluí um teste para facilitar a compreensão e se a aplica tanto em pensamento como em ação.

Neste artigo, serei mais prático e objetivo quanto ao Líder Transformacional.

 

O líder deve seguir estes 5 passos para liderar bem seus colaboradores.

  1. Estimule a cooperação;
  2. Confie mais, elimine controles;
  3. Utilize mais a intuição que o racional;
  4. Desenvolva seus liderados;
  5. Crie ligações emocionais.

 

Passo 1: Estimule a cooperação

A geração atual trabalha em rede, se apóiam mais. Ao estimular a participação, cada um faz o seu melhor e o time se complementa. A definição mais completa para uma equipe é que todos buscam um objetivo comum. Veja como funcionam os esportes, é muito semelhante. Os melhores times são aqueles em que as pessoas se entendem e todos sabem qual é o objetivo a ser atingido. A energia da realização flui entre os membros da equipe e a sinergia acontece. O resultado é maior do que a soma individual, essa é a definição de sinergia e que ocorre em situações de cooperação entre os participantes de uma equipe.

 

Passo 2: Confie mais, elimine o controle

Confiar significa que se acredita na pessoa e, quer que faça o seu melhor. Quando se confia, as pessoas se sentem mais responsáveis pela execução de uma atividade e engajadas na equipe. Colocam energia naquilo que faz e é isso que você como líder está procurando nas pessoas. Quando ocorre muito controle por parte do líder, demonstra desconfiança, falta de credibilidade. É como o ciúme entre as pessoas. Tem um viés destrutivo que ao contrário de aproximar, afasta mais um do outro. Na liderança, a ausência de confiança vai gerar baixa energia, falta de compromisso e de responsabilidade. Se não confia terá que dizer o que fazer e acompanhar tudo o que deve ser feito. Confere tudo o que foi feito, cria gargalos na produção de resultados e fica limitado a capacidade que o líder controlador tem de checar cada detalhe.

 

Passo 3: Utilize mais a intuição que o racional

Você já tem as informações que precisa em sua mente, ao tomar uma decisão. Ao lidar com uma situação em que tem que resolver os elementos básicos já está armazenado em seu cérebro. Porém, se procurar sempre a explicação com base na lógica e no processo do pensamento racional de tomada de decisão, estará trabalhando sobre premissas e, se estas premissas não forem as corretas naquela situação, a decisão é tão ruim, ou pior, quanto não tomar nenhuma decisão. Acredite mais em si mesmo e nas pessoas. O processo intuitivo tem mais energia mental e poder de ligação entre as pessoas, as decisões são mais rápidas e geralmente as mais acertadas.

 

Passo 4: Desenvolva seus liderados

Se mostrar preocupação genuína com as pessoas, eles se colocarão em suas mãos. Ao dizer que aquilo que fazem atrapalha aquilo que desejam, acreditarão em você. O contrário serve para reforçar suas qualidades. Diga que aquilo que faz bem propicia atingir suas metas mais facilmente. Acompanhe seu desenvolvimento, utilize técnicas de aprendizado como o coaching e feedback. Apliquem, trata-se de ferramentas eficazes para o empowerment, para delegar e gerar crescimento pessoal e profissional daqueles que lidera.

 

Passo 5: Crie ligações emocionais

O fato de estimular a cooperação de todos para um objetivo comum, confiar no liderado e eliminar controles, utilizar mais a intuição que a razão, se preocupar com o desenvolvimento das pessoas, naturalmente criará ligações emocionais. A tradução mais completa dessas ligações é a confiança dos liderados nos líderes e nos seus pares. O respeito entre líder e liderado cria conexões emocionais fortes. Também o líder deve estar sintonizado com os objetivos pessoais e profissionais dos seus liderados e mostrar como eles podem atingi-los, trabalhando juntos.

 

Essa é a essência da motivação e da produtividade! O líder transformacional tem muito carisma (próximo artigo). É sobre esses princípios que trabalho em meus cursos online e presenciais e nos meus livros.

Pensem a partir deste artigo sobre carisma. O Líder Transformacional é carismático.

 

AJ Limão Ervilha

Empresário, professor, escritor, consultor há mais de 25 anos em importantes organizações como Hospital Albert Einstein, Ford, Kibon, Philips, VOLVO.  Autor do livro Liderando Equipes para Otimizar Resultados, entre outros. Especialista em Criatividade Aplicada ao Marketing pela New York State University. Possui certificação Internacional em DHE® Design Human Engineering com Dr. Richard Bandler e Programação Neurolingüística (PNL) com seu criador Dr. John Grinder. Formação em Análise Transacional e Certificação em Coach pela ICC – International Coach Community.

1 comentário

Deixe uma resposta